Saudades e conflitos dos meus órgãos

O tempo vai passando. O dia passa mais rápido mas a noite chega lenta.
Tento não contar os dias mas é inevitável. Contando para trás parecem poucos mas sinto-os como uma eternidade.
Não conto para a frente porque sinto que faltam dias infinitos até à tua chegada.

Ainda há bem pouco tempo dizíamos que eu estava a acabar porque me faltavam apenas 3 meses (coisa pouca). Entretanto 2 meses passou a ser tanto tempo. É a diferença entre estar contigo ou sem ti.
Contigo o tempo voa. Quando estás longe ele fica coxo e demora o triplo a passar.

A minha cabeça diz que 2 meses não são quase nada mas o meu coração zanga-se alegando ser demasiado tempo. Andam desentendidos. A cabeça sabe que nos tempos que correm é normal um casal separar-se e devíamos dar graças a Deus por ser tão pouco tempo. Mas o coração não acha piada à conversa. Ele sente que 2 meses é demasiado tempo para nos separamos de quem tanto amamos. Sente que devia ter-me impedido de te incentivar a aceitar.
E eu tenho-lhe dado ouvidos. Nunca mais vou incentivar-te para algo deste género. Sei que o meu coração não me voltará a deixar cometer tal erro. Se a oportunidade voltar a surgir, o coração vai lembrar a cabeça do quão triste anda agora sem ti.

Entretanto a barriga anda zangada comigo porque deixei o pneu alojar-se nela e só agora mando a boca fechar-se para tentar expulsá-lo.
A minha barriga quer-se sozinha e a presença do pneu não está a permitir aos olhos o contacto com um espelho de corpo inteiro. Não há contacto porque se houver sei que não vou gostar..

Eu sei que tu gostas de mim com ou sem pneu mas, se ainda o tiver quando voltares, vou ter um desgosto gigante. Quero livrar-me dele para ficar elegante. Não gosto do que vejo no espelho e por isso também não gosto que me vejas assim. Quero passar a ter prazer ao ver-me no espelho. Quero passar em lojas e poder comprar roupas em vez de olhar e dizer ‘adoro mas não me fica bem com este corpo’.
Estou farta de procurar roupa que esconda o pneu. Quero passar a procurar roupa que me agrade. Em vez de esconder o pneu quero ter o prazer de poder mostrar a barriga. Só espero conseguir para não ter uma enorme desilusão.

Com a eternidade que falta para chegares pode ser que consiga expulsar o pneu.
Até o coração ia ficar mais contente!

Amo-te Smurf e odeio estas malditas saudades 😦 Não matam mas moem..

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s