Já nasceu

Desculpem, estou em falha para convosco.

A nossa princesa já nasceu. Com 3,195kg e 48cm

Nasceu 10 dias antes da data prevista porque eu perdi líquido amniótico.

Graças a Deus foi tudo detetado a tempo, provocaram o parto, o corpo não reagiu por isso fizeram cesariana.

A nossa princesa nasceu saudável e agora somos 3. Temos a nossa família completa!

Gastámos algum bastante dinheiro e andámos 4 anos a lutar. Se valeu a pena?

Não há dúvida que sim!

Valeu a pena toda e cada viagem para Coimbra, Porto e Lisboa com mais ou menos esperança!

Valeu a pena cair e voltar a levantar!

Valeram a pena as 2 interrupções de tratamento, a não fecundação e o negativo para terminar com o positivo!

Valeram a pena o descolamento de placenta, as preocupações com alimentação por causa da toxoplasmose e a perda de líquido amniótico para ter agora a nossa guerreira nos nossos braços!

Só percebemos o quão fortes somos quando nos colocam à prova.

Agora, olhando para trás, percebemos que tanto nós como a nossa princesa fomos mesmo uns guerreiros. Nunca desistimos e agora estamos juntos, agora somos uma família de três!

Serve a nossa história para vos mostrar que é possível! Que não devem desistir.

Enquanto tiverem dinheiro [infelizmente sem dinheiro não se consegue nada quando falamos de infertilidade] não desistam! Acreditem que tudo vale mesmo a pena!

Como já tinha dito, este blogue deixa de fazer sentido porque a luta contra infertilidade acabou [graças a Deus] mas não o apago. A nossa história fica aqui publicada e o email deste blogue continua ativo.

Qualquer coisa de que precisem não hesitem. Eu continuo deste lado para vos ler e ajudar no que puder!

Anúncios

Reações da família

Foi tudo apanhado de surpresa. Principalmente a minha família, onde há o hábito de se saber tudo sobre todos os seus elementos. Pois que ninguém esperava a notícia da nossa gravidez porque ninguém imaginava que tínhamos ido buscar o último embrião ao laboratório. A família dele ainda mais longe estava, uma vez que só os pais sabem apenas que eu tenho um problema hormonal e precisamos de tratamentos de fertilidade [só isto. não sabem qual é o problema nem qual o tipo de tratamento].
Imaginámos que a minha mãe ia ficar eufórica e a minha sogra apática. Pois que decidiram inverter os papéis. A minha mãe ficou em choque e perguntou “estás grávida? Como é que isso aconteceu?” e a sogra desatou aos gritos e aos saltos e só perguntou [2 ou 3 vezes] se era mesmo verdade. Da mesma forma que o meu tio [padrasto é nome feio] e sogro: o meu tio é uma pessoa mais eufórica do que o meu sogro, no entanto o meu sogro até saltou e o meu tio ficou meio incrédulo, soube através de uma chupeta, olhou e disse “Então o que foi? É uma chupeta..” Só depois olhou para mim e associou, dando os parabéns e perguntando “mas como?”.
O resto da família ficou contente. Da minha parte mais incrédulos do que da parte do Smurf. Toda a minha família sabe tudo sobre o meu problema. Da parte dele só sabiam os pais, o que levou ao resto da família não estranhar a notícia [‘resto’ que até agora ainda são apenas os avós e uma tia direita, porque ele quer esperar até às 16 semanas, ou até sabermos o sexo, ainda não percebi muito bem o que espera realmente].

chupeta

comprámos uma chupeta destas para dar a notícia. assim, numa bola e com elástico para a árvore de natal

Pergunta retórica

Chego a casa e vejo a mochila dele ao lado da mesa, perto de uma poça de xixi..
Desvio-a e digo-lhe:
– “Então, por pouco não punhas a mochila em cima xixi..”
A reação dele foi perguntar imediatamente:
– “Xixi? Quem é que fez xixi aí?”
Ora, tendo em conta que vivemos 2 adultos e um cão, será mesmo necessário dizer quem fez xixi no chão da cozinha?

como-limpar-xixi-cachorro

Imagem tirada da internet

Detetive avô em ação

Já vos apresentei o meu avô aqui [so tenho avô e avó maternos, os paternos não cheguei a conhecer]

Ontem, estava eu em casa da minha avó, a por a conversa em dia, quando o meu avô saiu rumo a casa da minha tia, onde estava a minha prima de 17 anos [que tem namorado] sozinha em casa.
Atendo o telefone e era o meu avô. Começou por pedir que dissesse à avó que tinha deixado o telemóvel em casa. Até aqui tudo bem, tudo normal. Qual o meu espanto quando ele continua, com voz de detetive de filme:
– “Diz também à avó que está tudo bem. A tua prima está mesmo SOZINHA em casa, confirma-se! Revistei a casa toda e não há sinal do rapaz. Entrei devagarinho e ouvi barulho na cozinha, fui ver e era ela, SOZINHA a arrumar a cozinha. Depois fui logo revistar o quarto e está tudo bem, tudo normal. Ela está mesmo sozinha. Perguntei-lh e se não tinha medo de estar cá sozinha e ela disse que não.”
A minha resposta foi apenas rir à gargalhada e dizer-lhe que mal seria se ela aos 17 anos tivesse medo de estar sozinha em casa. Depois fui contar à minha avó, a rir e a imitar o tom de voz do meu avô. Resposta da minha avó muito indignada:
-Ai, o teu avô disse isso? Parece que é parvo. Ninguém lhe mandou ver nada, nós confiamos na tua prima. Não lhe contes nada, se não ainda pensa que não confiamos nela.
– Avó, eu estou nesta família há quase 27 anos, claro que mandaram o avô fazer isso e é normal.

Sim, depois contei à minha prima, explicando-lhe que acho normal fazerem este controlo, da mesma forma que acho normal que ela faça o que tem a fazer.. Desde que não se esqueça que vão andar atrás dela a controlar (como acontece em todas as famílias). E claro que tinha de lhe contar, da mesma forma que lhe peço que, se ouvir alguma coisa a meu respeito, faça o mesmo. Como toda a vida tenho feito (e ainda faço) com a irmã dela de 25 anos.
A nossa família tem destas coisas, contam tudo umas às outras (mãe, tia, tio, avó) e é bom que os netos que estão por casa prestem atenção ao que se diz sobre os primos e vice-versa. Aliás, quando a minha prima diz que está tudo bem com ela e a minha tia me pergunta algo, a minha mãe diz logo “se a tua filha disse que está tudo bem, esta vai dizer exatamente a mesma coisa!” E é verdade, se houver algo que a minha prima não queira contar à mãe dela, não serei eu a fazê-lo.

O meu avô já podia ser bisavô.. Mas não é..

Telefonou-me para o telemóvel uma semana antes de fazer 85 anos. Disse-me que ia fazer almoço de aniversário e perguntou se podia contar comigo e com o Smurf. Conversa puxa conversa [sobre o quanto trabalhava em novo e agora já não pode] e eu disse-lhe “É normal, a idade é outra. Antes era filho e agora já é avô” ao que ele me respondeu “Pois é, e já podia ser bisavô, vocês é que não há meio”.
Eu limitei-me a responder “Nós lá estamos a trabalhar para isso”. E acham que ele percebeu que eu me estava a referir aos tratamentos? Claro que não. Logo a seguir liguei para a minha mãe a rir e pedi-lhe que não contasse nada à minha avó.

E agora dizem vocês:
– É normal, é da idade. > Não, é da cabeça! Mas não tem nada a ver com a idade. Sempre foi assim, está na dele e não presta atenção a nada.
– Mas ele não sabe que andas a fazer tratamentos? > Claro que sabe, pelo menos devia saber. Até ele dizer isto eu estava convencia que toda a gente na família sabia. Pelos vistos toda a gente sabe, exceto o meu avô. Porque já se falou no assunto à frente dele, ele é que está na dele e não presta atenção a nada.

Para vos contextualizar, vou apresentar-vos o meu avô. E a razão de não ter ficado chateada nem triste com esta infeliz saída [e também a razão de não querer que a minha avó saiba]:

-O típico avô que estraga os netos até dizer chega!
– “A tua mãe não te deixa comer gomas? Mas ela não está aqui. Vá, come e não digas nada (nem à avó)” e era isto todos os sábados. Só parou no sábado em que nos comprou tantas gomas que a minha prima não conseguiu comer a tempo e acabou por ser apanhada com o saco. O meu avô levou uma rabecada maior que nós (por razões óbvias, visto que éramos apenas crianças com 6/7 anos).
– “Eu vou para esses lados sexta feira por isso trago-te, escusas de vir de autocarro.” Vai ter comigo ao café. Puxa do cigarro e pede uma média. “Se a avó perguntar eu não fumei e bebi café”. Porque a avó é quem manda!
– Tem 85 anos e ainda conduz. Entra nas rotundas e quem quiser que se desvie. Depois tem o descaramento de refilar “Caraças que este gajo ia vindo para cima de mim, esta gente não sabe conduzir”.
– Fuma às escondidas da minha avó, porque ela é que manda! Todos os dias o meu avô leva o lixo e vai fechar o portão [ambas as tarefas demoram tempo suficiente para fumar um ou dois cigarros]. Aliás, entra em casa para não mais sair e, à porta, a minha avó sugere-lhe que aproveite e feche logo o portão. Ao que ele responde “Deixa estar, eu depois já cá volto”.
– É o motorista do meu primo de 11 anos. Chama-lhe patrãozinho [sim, também tem sentido de humor] e entretém-se a levá-lo à escola, ao conservatório, às explicações e onde mais ele precisar (com os netos mais velhos já era assim, nós é que não tínhamos tantas atividades). Sai de casa 1 hora antes para ir buscar o miúdo [diz que ainda vai meter gasóleo – 1hora só se for para atestar o camião Tir que não tem]. Ora, ele demora 5 minutos a chegar. Saindo 1 hora antes tem tempo de passar a tomar café e/ou beber a sua cerveja e fumar meia dúzia de cigarros (para compensar os que não pode fumar na presença da minha avó).
– Não sai de casa sem passar pela vistoria da minha avó: penteia-o e ajeita-lhe a gravata, a camisa e o pullover  (claro que na véspera foi a ela que escolheu o que ele iria vestir). Ele não é inválido, só é trapalhão e sempre se habituaram assim porque a minha avó quer que ele saia de casa como um senhor e, por ele, saía tipo miúdo ao fim de um dia de brincadeira: despenteado e com a roupa completamente desalinhada.

Resumindo: o meu avô é um autêntico miúdo de 85 anos.

E quando a família evita o assunto?

Descobri à uns dias que tenho uma prima grávida de segunda viagem..
E porque é que só descobri à uns dias? Porque a minha prima direita não me queria contar.. Não queria tocar no assunto.. Eu até a percebo, no lugar dela se calhar fazia o mesmo. No entanto, estamos a falar de uma prima.. Mais cedo ou mais tarde eu ia ter que saber.
Depois há outro casal, amigo da prima que não toca no assunto, com quem me cruzei no S Jeronino em Coimbra [eu em consulta, eles em dia de punção]. Casal que, neste momento, espera gémeos.. E que a minha prima também não me queria contar.
Lá lhe expliquei que relativamente ao casal amigo é uma ótima notícia porque é sempre mais uma esperança. E quanto à prima era inevitável eu saber e fiquei contente com a notícia. 
Agora aqui entre nós, o casal amigo sim – ótima notícia em todos os sentidos!
A prima pronto.. É mais uma grávida, ainda por cima de segunda viagem, ótimo para ela mas aquele aperto para nós.. Aquele sentimento de falha porque ela já vai no segundo e nós ainda nem conseguimos o primeiro. Mas aquela notícia que tem de ser dada [porque é prima].
Custa sempre, mas é esta a nossa realidade 😦 Juntos os dois, a tentar ser três!