Quando no 3º ano há ovos no sistema reprodutor

Pois é.. O sistema reprodutor já consta do programa de 3º ano. E, pelos vistos, “um óvulo + um embrião dão origem um ovo” que 9 meses mais tarde será uma nova vida!
E nem sequer dizem de onde vêm os óvulos .. Falam nós ovários, no útero e na vagina [as trompas de falópio só aparecem, não são identificadas] mas não dizem para que serve nada.. E engane-se quem pensa que há explicação sobre como o espermatozóide vai parar dentro da mulher..
Mas a que considerei pior foi mesmo a do Ovo. Então, recapitulando um pouco, existem mamíferos [ser humano] que dão à luz e ovíparos [galinha] que põe ovos.
Agora afinal a mulher e o homem geram um ovo?? Mas que confusão é esta?

E vir logo na página seguinte ao sistema urinário? É que, durante a explicação, a minha miúda pediu para ir ao wc:
“Vá lá que eu tenho a bexiga cheia e preciso muito de esvaziar a vagina”. Lógico que a minha primeira reação foi desatar a rir e depois não a deixei sair sem ler na legenda que o xixi sai pela uretra!

Esta ‘explicação’ foi encontrada na net.. A do livro diz apenas ovo. Não especifica qualquer divisão de células.
Basicamente é um ovo e logo a seguir 4 barrigas de 2, 4, 6 e 8 meses de gestação.

Anúncios

Boa semana 


Principalmente para os meus meninos que têm testes esta semana. Para a semana ainda têm o de estudo do meio. Mas esta semana têm os de português e matemática.
Vamos ver se lhes corre bem. Cabeças no ar como são é tudo uma questão de “sorte” e cabeça no sítio. Se os astros estiverem bem alinhados, a coisa até que corre bem.. Se vem uma aragem que desalinhe os astros é que está tudo estragado 😆

Trabalhos de casa e a culpa que não é sempre do professor

Sou a favor dos trabalhos para casa, desde que em quantidade q.b. e feitos pelos miúdos.
De que adianta chegarem com os trabalhos e os pais darem as respostas? Adianta zero! Aliás, habitua as crianças a não ter obrigações. Habitua-os a que os pais façam tudo por eles. Desta forma nem precisam de estar com atenção na escola porque, quando chegarem a casa, não vão precisar de aplicar o que aprenderam.

E quando “O professor não explicou”

Não se ponham logo contra o professor, vão à escola saber o que realmente aconteceu. Muitas vezes o professor explica. Os alunos é que não ouvem porque estão desatentos, a brincar, a falar com os colegas..
Eu sei que há maus professores, desses que mandam os trabalhos sem explicar e só explicam se algum aluno apresentar dúvidas – e nestes casos raros é preciso tomar outras medidas obviamente. Mas acreditem que, na esmagadora maioria dos casos, os professores explicam, os alunos é que não ouvem porque estão desatentos e depois dizem não perceber nada. Claro que aí o professor não vai explicar só a um. Explica só para um quando se trata de uma dúvida, não por falta de atenção.
E acho muito bem que assim seja. O aluno tem de saber respeitar as regras da sala de aula, não poderá ter tratamento especial (recebendo explicação individual) por estar desatento durante a explicação de grupo.
Os pais precisam de se mentalizar que culpa não é sempre do professor!
Vou dar-vos um exemplo que se passou comigo:
Dava explicações a 3 alunas da mesma turma, à mesma hora. Duas delas faziam os exercícios corretamente. A outra só fazia metade. A desculpa era sempre a mesma: A professora deixava-a ir à casa de banho sempre que pedia, mesmo a meio dos exercícios (como se tal fosse possível com um professor minimamente consciente).
Nunca nada aconteceu porque a mãe desta aluna estava consciente da filha mimada e mal educada que tinha em casa. E a professora tinha imensos anos de experiência e ótima fama.
Não fosse uma professora tão experiente e bem afamada, seria mal intitulada pela boca de uma criança mal educada que alegava sempre desconhecer as matérias dadas na sala de aula.

E quando o professor manda muitos trabalhos?

E mandou mesmo muitos? Ou mandou fazer na sala e, caso não acabassem, fariam em casa juntamente com  os trabalhos de casa? Esta situação é outra que ‘revolta’ os pais quando ouvem apenas a versão dos filhos.
Porque quando questionam os filhos sobre o motivo de terem tantos trabalhos de casa, eles vitimizam-se, alegando não saber. Quando, na realidade, os colegas levam menos 4 páginas que eles, porque as resolveram na sala e ainda tiveram tempo de fazer um desenho.
É muito importante falar com o professor. Perceber a veracidade dos factos. Por muito sinceros que sejam os vossos filhos (ninguém está a dizer o contrário), eles podem e tendem a alterar um pouco a verdade quando se trata de ‘salvar a própria pele’.

E sabem o que não ajuda em nada e só piora a situação? Os pais falarem mal dos professores em frente aos filhos. Esta atitude dar-lhes-á força para se portarem cada vez pior na sala de aula!

antes-e-depois

Infelizmente este cartoon retrata bem de mais a realidade escolar da atualidade.

Necessidades e objetivos de explicações na escola primária

Aqui na vila havia quem ajudasse os miúdos a fazer os trabalhos de casa.. Pessoas com tempo disponível. Antigamente qualquer pessoa o podia fazer, hoje em dia as matérias mudaram e no 2º ano já começam com frações – sim, “bebés” de 7 anos [porque hoje em dia são bebés até aos 15 ou 20 anos, porque os pais assim os tratam] a dar frações..

Do outro lado temos os pais. Aqueles que não se lembram, os outros que não sabem e, o problema da maioria: não têm tempo para estar com o filho a fazer os trabalhos. Isto não é uma crítica, é uma realidade! Uma mãe que chega a casa às 19h vem cansada porque trabalhou o dia todo, tem de fazer o jantar, dar banho(s) e ainda os trabalhos do(s) filho(s)? Não é fácil! Nem que queira ser boa mãe e passar tempo de qualidade com o filho, não dá porque há trabalhos para fazer..
E porque é que o filho não os fez antes? Porque teve de brincar, ou porque diz que não sabe, que a professora não explicou, entre outras desculpas que eles inventam só para não dizerem “não me apeteceu”.
E porque é que não lhe apeteceu? Porque não esteve com atenção na escola e não sabe o que há-de fazer.. Ou porque ouve a mãe a criticar a professora por mandar TPC e então acha-se coitadinho porque a professora é que é sempre a má da fita!
E a professora é má porque os miúdos com 7 anos ainda são infantis e não têm concentração – culpa dos pais que não lhes incutem responsabilidade e afirmam “não ter mão neles” [cono já ouvi a vários].. Se com 7 anos não têm mão neles, o que será destas crianças aos 16???
Continuando e voltando ao tema principal: eu, como professora estou a par da matéria que eles andam a dar.. Sei que eles precisam de tempo para pensar. E sei também que se eu me limitar a ditar-lhes as respostas [erro comum de muitos pais com pouco tempo], eles vão ter o trabalho certo mas ficam sem saber nada na mesma porque além de não terem ouvido nada na escola, foram à explicação buscar as respostas. E não é disso que precisam!
Eles precisam que a matéria lhes seja explicada em particular, porque na escola não estão com atenção! E, depois de perceber, precisam de tempo para pensar nas respostas! E se entretanto continuarem sem perceber, é porque estão a precisar que lhes seja explicado novamente, e as vezes que for preciso para que fiquem a PERCEBER. Porque juntar ‘p’ com ‘ai’ dá ‘pai’ em milésimos de segundo para nós (que sabemos ler há mais de 20 anos) mas se calhar demorará dois ou três minutos para uma crianças de 6 anos que está agora a aprender a ler! Porque ela terá de se lembrar que a letra ‘p’ é um ‘pê’, que ‘a+i= ai’ e, tudo junto forma a palavra ‘pai’.
É preciso deixar que a criança chegue lá sozinha.. Se não chegar é preciso voltar a explicar e dar outros exemplos, mas não a resposta! É neste ponto que muitos pais falham, e a maioria sem perceber que é uma falha gigante! Porque os miúdos habituam-se a não pensar!
Uma criança de 6 anos que diga, por exemplo, que ‘2+2=3’ terá de ter quem a ensine a pegar em 2 lápis numa mão e 2 noutra e contá-los. O adulto não pode simplesmente olhar para a conta e dizer “não vês que 2+2=4?”
Porque assim, ela fará tudo ao calhas e esperará pelo adulto para fazer a correção e deixar tudo da forma certa!
E é isto que tenho feito com as crianças de escola primária. O preço está definido ao mês e marco 1 hora (1,2 ou 3 vezes por semana). Se nessa hora os trabalhos não estiverem acabados, a explicação pode estender-se a hora e meia (às vezes 2 horas).
Porque eu sei e compreendo que o objetivo principal dos pais é os TPC irem feitos para casa! E o meu objetivo principal é que os TPC sejam feitos pelos próprios miúdos, nem que para isso eles demorem o dobro do tempo na explicação [sem pagar mais por isso].