Já nasceu

Desculpem, estou em falha para convosco.

A nossa princesa já nasceu. Com 3,195kg e 48cm

Nasceu 10 dias antes da data prevista porque eu perdi líquido amniótico.

Graças a Deus foi tudo detetado a tempo, provocaram o parto, o corpo não reagiu por isso fizeram cesariana.

A nossa princesa nasceu saudável e agora somos 3. Temos a nossa família completa!

Gastámos algum bastante dinheiro e andámos 4 anos a lutar. Se valeu a pena?

Não há dúvida que sim!

Valeu a pena toda e cada viagem para Coimbra, Porto e Lisboa com mais ou menos esperança!

Valeu a pena cair e voltar a levantar!

Valeram a pena as 2 interrupções de tratamento, a não fecundação e o negativo para terminar com o positivo!

Valeram a pena o descolamento de placenta, as preocupações com alimentação por causa da toxoplasmose e a perda de líquido amniótico para ter agora a nossa guerreira nos nossos braços!

Só percebemos o quão fortes somos quando nos colocam à prova.

Agora, olhando para trás, percebemos que tanto nós como a nossa princesa fomos mesmo uns guerreiros. Nunca desistimos e agora estamos juntos, agora somos uma família de três!

Serve a nossa história para vos mostrar que é possível! Que não devem desistir.

Enquanto tiverem dinheiro [infelizmente sem dinheiro não se consegue nada quando falamos de infertilidade] não desistam! Acreditem que tudo vale mesmo a pena!

Como já tinha dito, este blogue deixa de fazer sentido porque a luta contra infertilidade acabou [graças a Deus] mas não o apago. A nossa história fica aqui publicada e o email deste blogue continua ativo.

Qualquer coisa de que precisem não hesitem. Eu continuo deste lado para vos ler e ajudar no que puder!

Anúncios

Pouco movimento mas sempre ativo

Este blog continuará sempre ativo e eu estarei sempre disponível para ajudar no que puder, via blog e e-mail. Posso até continuar a escrever sobre infertilidade se pretenderem 😉
Quero que este blog fique sempre como o registo do que passámos e que ajude quem quiser saber como se processam os tratamentos de fertilidade (apesar de cada caso ser um caso).

Qualquer dúvida, não hesitem em perguntar: mariacsblog14@gmail.com

Dinheiro traz felicidade?

aqui escrevi sobre isso, em 2014. Agora sinto-o mais que nunca!
Há uns anos diria que dinheiro nada tem a ver com felicidade. Sempre detestei quem avalia os outros pelo conteúdo da sua carteira, e sobre esse tipo de pessoas a minha opinião mantém-se!
Mas neste momento tenho de dizer que sim: o dinheiro pode trazer felicidade! No nosso caso podia não trazer na mesma, mas aumentaria em muito o nível de esperança.
O nosso ponto de situação é: 1 único embrião, menos bom do que o que foi transferido. Não podemos voltar ao hospital público. Poder até podemos, para a lista de espera do hospital de Santo António no Porto – o único que trabalha com óvulos doados e tem uma lista de espera mínima de 4 anos, se entretanto não tiver aumentado.
Claro que a nossa esperança é mínima. Se não der com o embrião que nos resta, o que vamos fazer? Tentar ser felizes sem filhos? Não sei se vamos conseguir e tenho medo de pensar nessa hipótese.
Há três anos que a minha vida está em standby, eu não posso procurar emprego porque depois não terei como justificar as faltas para tratamentos. E não há hipótese de dizer a verdade em entrevistas de trabalho porque aí é que não me contratam de certeza!
Se tivesse dinheiro, estava cheia de esperanças.. Porque mesmo que não resultasse com o embrião que temos em laboratório faríamos outro tratamento, e mais outro, e os que fosse preciso!
Assim não é fácil, são tratamentos demasiado dispendiosos. Não nos podemos “dar ao luxo” de fazer vários e ficar sem pé-de-meia. Porque depois até poderia correr bem mas tínhamos o filho e não tínhamos condições económicas para ele! Fome não passaria mas não era nem um pouco o que idealizámos. Não é só para tratamentos que poupamos dinheiro – é para tratamentos e para um filho, para o futuro!
Não temos ido de férias porque o Smurf tem apenas 22 dias e 10 deles já estão guardados para outro trabalho. Dos restantes 12 vai tirando dias soltos para me acompanhar a consultas e tem sempre 1 semana guardada. Semana essa que queria tirar após a transferência e, a meu pedido não tirou: guardou para o caso de dar certo e poder haver complicações – preciso mais dele se tiver uma gravidez de risco! – e mesmo que resultasse e não fosse de risco já as poderia tirar em qualquer altura, já não precisava de as guardar para nenhuma situação específica!
E é isto.. Este standby constante, este guardar férias, mentir [algo que abomino] para não dar explicações!
Parecendo que não, tudo isto pesa quando o resultado é negativo. Se não tentássemos sentir-nos-íamos culpados. Assim, levámos um grande murro no estômago! Sentimos que não tem valido a pena. É certo que a esperança é e será sempre a última a morrer. A esperança não morreu, mais enfraqueceu bastante com todas estas interrupções e negativos!
Sinto que estamos a deixar de viver para nada!
Fomos à luta, pensámos que ‘afinal valeu a pena’ passar pelo público e não gastar dinheiro em vão em tratamentos com os meus óvulos na privada. Chegámos com esperança a 200%: o problema está nos meus óvulos e, como não os vamos utilizar, tudo vai correr bem! Só que não.. e mesmo sem sangue, o beta bem negativo e a esperança diminuiu mais do nunca! Ainda temos 1 embrião.. mas já só temos 1 embrião! Era impossível que a esperança não diminuísse.

Controlo do endométrio 

É amanhã (ou hoje, atendendo ao fuso horário). Por isso vim de véspera.. Não fosse algo correr mal.
E a manhã não começou tão bem como esperava. Tinha combinado com a minha mãe chegar na hora de almoço dela (que começa às 12h, mas como a minha mãe nunca sai à hora até pensava que era só às 12h30). Pois que me atrasei e às 12h estava a sair de casa. Pé no acelerador e pouca gente na estrada (graças a Deus), cheguei às 13h10.
Nada de grave e deu tempo mais que suficiente para estar com a minha mãe, ir deixar o carro a casa e ir para a estação de comboios, onde cheguei às 14h40, para apanhar o comboio das 15h22 😀
A viagem até correu bem, dentro dos possveis.
Cheguei a Lisboa, vim de metro para casa da minha prima (com ela claro) e assim aprendi onde é a paragem de metro e como ir amanhã 😃 Já não preciso de apanhar um táxi e pagar quase 10€
Fomos jantar Sushi [aproveitámos que o Smurf não veio, porque ele não é grande apreciador]


Depois fomos ao continente e viemos para casa fazer o almoço de amanhã.
Como tenho ecografia marcada para as 12h, vou sair de casa lá para as 9h30/ 10h, não me vá perder e demorar mais do que o tempo previsto (que na realidade nem sei quanto é o tempo previsto. Sei apenas que 2 horas deverão ser mais que suficientes).
Amanhã [daqui a bocado] darei novidades 😊

O prometido é devido!

Mais vale tarde que nunca por isso aqui estão as nossas análises. Desculpem a demora mas esperei pelas do Smurf para publicar tudo junto e aqui estão elas. As dele são as últimas – apenas Imunologia, só para processo 🙂
O relatório da Ecografia Mamária indicava estar tudo ok 😉
Segundo a Dtra da IVI, as minhas análises estão normais, exceto 2 hormonas com valores mais baixos, devido ao meu Síndrome. Já só falta enviar as do Smurf, amanhã, para ficarmos oficialmente só à espera que nos chamem 🙂

Este slideshow necessita de JavaScript.

See ya. Smurfina 💎

Já estamos em Lisboa

Viemos de véspera e estamos “hospedados” em casa da minha prima. Amanhã é o namorado dela que nos vai levar à IVI e já fomos hoje fazer o reconhecimento do terreno, para amanhã de manhã ele já saber o caminho.
Mal chegámos fiz logo asneira da grande.. Tranquei o carro manualmente e saí, coisa que NUNCA tinha feito. Quando saí fechei a porta e pumba! O carro ficou trancado. Então e a chave? Na ignição.. Enfim, quando usamos o comando, o carro não tranca se alguma porta estiver aberta (ou mal fechada). O Smurf passou-se, sem saber como íamos resolver o problema. Eu nem por isso, mas já imaginava praí 500€ a sair-me do bolso para pagar a alguém que me resolvesse o problema. Ainda por cima com o carro mal parado e a trancar 2 outros carros – porque só parámos para esperar a minha prima e o namorado, ficámos ali ao lado a fumar um cigarro e esticar as pernas.
Como a consulta está marcada para as 10h, temos que estar lá às 9h45, com cartões de cidadão em punho. Também levo o cartão APF [Associação Portuguesa de Fertilidade] e todo o processo que temos, incluindo um caderno onde escrevi todo o processo, recorrendo ao Blog claro.
Amanhã dou novidades 😉 Se não me engano, penso que a IVI tem Wi-fi 😉 hehehe
Durmam bem, porque nós vamos dormir com certeza.
Ansiosos pela consulta de amanhã. Ansiosos por este novo (re)começo.

See ya 💎 Smurfina

E quando a família evita o assunto?

Descobri à uns dias que tenho uma prima grávida de segunda viagem..
E porque é que só descobri à uns dias? Porque a minha prima direita não me queria contar.. Não queria tocar no assunto.. Eu até a percebo, no lugar dela se calhar fazia o mesmo. No entanto, estamos a falar de uma prima.. Mais cedo ou mais tarde eu ia ter que saber.
Depois há outro casal, amigo da prima que não toca no assunto, com quem me cruzei no S Jeronino em Coimbra [eu em consulta, eles em dia de punção]. Casal que, neste momento, espera gémeos.. E que a minha prima também não me queria contar.
Lá lhe expliquei que relativamente ao casal amigo é uma ótima notícia porque é sempre mais uma esperança. E quanto à prima era inevitável eu saber e fiquei contente com a notícia. 
Agora aqui entre nós, o casal amigo sim – ótima notícia em todos os sentidos!
A prima pronto.. É mais uma grávida, ainda por cima de segunda viagem, ótimo para ela mas aquele aperto para nós.. Aquele sentimento de falha porque ela já vai no segundo e nós ainda nem conseguimos o primeiro. Mas aquela notícia que tem de ser dada [porque é prima].
Custa sempre, mas é esta a nossa realidade 😦 Juntos os dois, a tentar ser três!